Show do Steve Vai e o que Eu Aprendi Nele

Na última terça-feira, Steve Vai comemorou seu aniversário de 57 anos com um show inacreditável em Porto Alegre, e o Samurai Guitar estava lá para cobrir o evento trazido à capital gaúcha pela Abstratti Produtora. Para os estudantes de guitarra, a apresentação foi uma verdadeira aula — e eu, nerd que sou, sentei na primeira carteira, bem na frente do professor. A menos de dois metros do mestre, foi possível observar detalhes de sua técnica que não seriam perceptíveis da plateia ou a partir de um DVD. Este artigo divide com vocês não apenas um pouco do espetáculo, mas também o que aprendi ao assistir a um dos maiores guitarristas da história tão de perto.

Imagens: Chico Pereira

O Show

A performance em si foi inacreditável, cheia de dinâmicas, humor, expressividade e virtuosismo, e executada por uma banda que estava muito afiada. O clima da noite foi de celebração, não só pelo aniversário do Steve, mas também pela própria turnê de comemoração dos 25 anos de Passion and Warfare — a qual, aliás, só chegou ao Brasil no vigésimo sétimo aniversário do álbum… (mas antes tarde do que tarde demais.) Todos estavam muito à vontade, e o aniversariante do dia parecia especialmente descontraído; interagiu muito com a plateia e fez piada o tempo todo.

Apesar da chuva incessante de Porto Alegre, o público — bastante heterogêneo, diga-se de passagem — com certeza se divertiu bastante e saiu do Auditório Araújo Vianna de alma lavada. O show teve direito a surpresas como as participações especiais, no telão, de outros grandes nomes da guitarra (Joe Satriani, Brian May, John Petrucci e Frank Zappa), mas, sinceramente, os duelos mais legais da noite foram aqueles que Vai realizou ao vivo com seu fiel escudeiro Dave Weiner, que o acompanha há mais de 17 anos.

Resumo da ópera: o aniversário foi do Steve Vai, mas o presente da Abstratti Produtora foi para o público portoalegrense. Showzaço, e quem não foi, perdeu.

Lições

A primeira coisa que me chamou atenção vendo o mestre-ídolo-guru tão de perto foi que o toque dele é muito mais leve do que eu imaginava e do que os vídeos fazem parecer. Não me entenda mal: a pegada dele é firme e precisa, sim, mas relaxada, solta, “sem apertar” nada. Mesmo tocando sons pesados como Bad Horsie e The Animal. (O Samurai Guitar já falou sobre como diminuir a pressão sobre as cordas aqui e aqui.)

Mas talvez a maior e mais impressionante lição da noite tenha sido sobre o controle que o mestre tem de seus bends e vibratos. Steve deu um show nesse sentido, e confesso que isso impressionou muito mais do que as caretas pirotecnias com a alavanca ou frases rápidas. Muito do poder e da grande expressividade da performance revelou-se aí, e para mim ficou mais evidente do que nunca a necessidade de dedicarmos boa parte do nosso tempo de prática ao estudo dessas duas técnicas, que são a alma do guitarrista. (O Samurai Guitar já falou sobre vibratos aqui.)

***

Um agradecimento muito especial ao Chico Pereira, que me acompanhou nessa empreitada e registrou todas as imagens do espetáculo que vocês veem no vídeo.

5 pensamentos sobre “Show do Steve Vai e o que Eu Aprendi Nele

  1. Grande Augusto! Muito da hora mesmo esse blog e essa cobertura sua sobre o show do Vai. Sei que o Vai esteve em Poa anteriormente em 1996 na turnê do Fire Garden e em 2000 na turnêbdo Ultra Zone. Não sei se ele esteve mais vezes. Em 1996 eu estava lá…foi no auditório da UFRGS. O batera era o Mike Mangini, recém saído do Extreme e tocando com aquele kit Remo do primeiro G3, inspiriado no Terry Bozio e tal…teve um solo de batera firtador até, mas nada de inspirador…da parte do Vai nesse show l, foi incrível…ele entrando com as sirenes que começam o Fire Garden…ele aparecendo de costas e vindo um cara pegar a jaqueta dele e outro entregando a guitarra…esse lance de brincar com as dinâmicas com a banda que aparece no teu vídeo aos 13min ele fez tbm…ele compôs uma músoca na hora com o público, chamando um para inspirar o baterista, outro para inspirar ele…tipo o que o Zappa fazia…a inspiração cinha dos movimentos dos caras, muito interessante….qualidade sonora daquele show está até hoje numandas melhores da minha vida, foi inesquecível…ver o Vai sempre é demais mesmo e curti muito ver seus comentários….Parabéns pelo blog e o canal, iniciativa da hora, não sabia que vc tinha criado, e agora vou seguir, com certeza. Abraço daqui da terra dos Cangurus, e fica o convite para vc largar o Brasil e vir detonar comigo aqui…ainda quero fazer aquele som!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Amigo,parabens pelo vídeo e comentários.Eu fui vizinho e colega de escola de Vai e Satriani em Carle Place NY quando adolescente.isso é algo que me enche de alegria.quando posso volto a CP,desta vez o Vai autografou um cartaz de show que eu trouxe de Carle Place.ele tocou no bairro vizinho de Westbury.Vai ficou surpreso de ver o cartaz e lembrou deste evento ,como não lembrar de estar em casa? Parabens novamente!este vídeo vai para os meus favoritos. Gilson Anderson ( temporariamente em Poa)

    Curtir

    • Uau, isso deve ter sido incrível! Eu tentei falar com ele aqui, mas não rolou dessa vez… Gilson, fico muito contente de vc ter curtido o vídeo. Muito obrigado pela mensagem e pelo suporte! Um forte abraço!

      Curtir

  3. Meu queridíssimo Augusto, seu blog só melhora e chega a me emocionar ao ver o seu tesão em relação a tudo que envolve essa ciência mágica que é de tocar guitarra.
    Eu normalmente tenho problemas com alguns tipos de artistas virtuosos e exibicionistas. Os tais shreders dos 80’s… Principalmente quando eles se tornam apenas a sombra de alguém que veio antes com boas ideias e música de verdade!
    Porém nada disso passa perto de Steve Vai. Vai é um artista de verdade, um músico consciente e extremamente sério (e carinhoso!) com o objeto máximo de sua profissão, a música, e não somente com o seu instrumento, a guitarra.
    Fico muito feliz com as observações feitas aqui sobre o grande músico Steve Vai.
    O sujeito dá ar de grandeza para um ícone que muitas vezes se torna apenas circense que é o guitar hero, pois a música está sempre presente!
    Claro, há muita atitude, mas nunca vazia!
    Grande abraço e sucesso!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s