Segredos Amorosos Marcianos 1: Você É Aquilo (Steve Vai)

(Parte 1 de 7. Originalmente publicado em fevereiro de 1989, na revista Guitar Player norte-americana.)

Originalidade. Individualidade. Essas são as características que os músicos ambiciosos desejam ter. Quando essas qualidades são reconhecidas em outros, surgem as tendências e estabelecem-se os estilos. Todo mundo tem a capacidade de ser único, pois não existem duas personalidades exatamente iguais.

A individualidade é desenvolvida pela mente. O primeiro passo é acreditar que somos únicos e que, se nossa individualidade não for visivelmente evidente em nossa forma de arte (música, gosto ou qualquer outra coisa), ela pode ser desenvolvida. Nesta série, vou tomar uma abordagem pouco ortodoxa para ajudá-lo a desenvolver seu próprio estilo pessoal e expressão. Alguns dos métodos podem parecer um pouco “estranhos”, mas siga-os.

Eu não falarei muito sobre teoria musical, exercícios e “hot licks“. Você pode obter todo esse material de um bilhão de outras fontes. Eu não desaprovo essas coisas; ao contrário, um certo pré-requisito é sempre útil. Porém, a originalidade nem sempre é um reflexo do que você sabe ou do quão rápido você toca. Eu acredito que a individualidade é definida, na maior parte, pela maneira como você exercita sua imaginação com a mistura apropriada de emoção e habilidades física, técnica e mental. Parece muita coisa, mas se resume a “apenas tocar”.

Para fazer o melhor uso destas colunas, acho importante ter um bom conhecimento de teoria e agilidade no instrumento. Não é absolutamente necessário, mas você achará vantajoso. Embora estas colunas tratem mais sobre a disciplina da mente do que sobre a disciplina dos dedos, você deve ter um bom conhecimento em:

ESCALAS:

Todas as escalas maiores e modos e a teoria por trás de como todas elas se relacionam; pentatônicas; escala menor harmônica e menor melódica; escala de tons inteiros e diminuta. Você deve saber essas escalas em todas as posições no braço do instrumento e também a partir da corda E grave até a nota mais aguda disponível. Você deve ter o som dessas escalas memorizado. Pratique-as com padrões melódicos baseados em segundas, terças, quartas, etc.

ACORDES:

Saiba como funciona o sistema acorde-escala.[1] Saiba pelo menos cinco maneiras de tocar todos os acordes maiores, menores, com sétima maior, com sétima menor e outros. Saiba como identificar um acorde por suas notas. Memorize o som desses acordes.

TEORIA E IMPROVISAÇÃO:

Saiba sem hesitação as notas de todas as casas da guitarra. Memorize o círculo de quintas e saiba harmonia básica. Compreenda os fundamentos da improvisação sobre mudanças de acordes.

LEITURA E ESCRITA:

Entenda leitura musical básica e notação básica. Seja capaz de ler uma música apenas com a melodia cifrada. Saiba ler e escrever tablaturas. Seja capaz de escrever uma ideia musical (em outras palavras, seja capaz de notar uma melodia). Você também deve desenvolver exercícios técnicos para ajudá-lo em áreas nas quais sentir dificuldades (como arpejos, double-picking, ligados e tapping).

Tudo isso é básico. Esses assuntos já foram discutidos em livros e colunas o suficiente, então não falarei sobre eles nesta série. Você pode encontrar essas informações em qualquer loja de música ou biblioteca com uma seção de música ou perguntar para um professor.

Embora uma compreensão completa de todos esses pontos teóricos básicos seja muito útil, não é uma necessidade, pois a música é uma forma de arte. Ninguém tem o direito de dizer: “Meu barulho é melhor que o deles”. É totalmente relativo. No entanto, se você estuda teoria, aqui está uma lista de alguns livros que achei muito úteis quando eu era um estudante:

  • Ted Greene’s “Chord Chemistry”
    (Dale Zdenek, dist. por Columbia Pictures Pub., 15800 NW 48th Ave, Miami FL 33014).
  • Toda a coleção de livros Bill Levitt Berklee
    (Berklee Guitar Series, dist. por G. Schirmer, 886 3rd Ave., New York NY 10022)
  • Um bom fake book.
  • Nicholas Slonimsky’s “Thesaurus Of Scales And Melodic Patterns”
    (dist. por G. Schirmer, 886 3rd Ave., Nova York NY 10022)
  • “Rhythms 1 & 2” by Gary Chaffe.
  • Livros de violino ou saxofone para praticar leitura.
  • Gardner Reed’s “Music Notation”
    (dist. por Crescendo, 48-50 Melrose St., Boston, MA)

[A maioria desses livros, se não todos, você encontra na amazon.com.]

…e, claro, todas as colunas da revista Guitar Player. Algumas pessoas podem levar algum tempo para resolver essas questões preliminares sobre teoria musical, por isso guarde essas colunas!

Lembre-se, nossa abordagem será mais mental, emocional e imaginativa do que teórica. Nosso objetivo é desenvolver a individualidade na guitarra. E, como ocorre em qualquer tipo de estudo, a atitude é o elemento mais importante.

Você já ouviu a frase “Eu sou aquilo”?[2] Acredito que isso significa que você é o que pensa ser. A maneira como você se percebe é aquilo que você se tornará. O problema é que muitos de nós nem sempre estão conscientes de como enxergamos a nós mesmos. Isso recai em reinos da psicologia que provavelmente excedem nossa compreensão, mas eu acredito que é possível dar a si mesmo uma mensagem consciente que irá se incorporar em sua psique e no seu estilo de vida. Vamos ver um exemplo simples: Imagine que você está tentando se livrar de um mau hábito pessoal de algum tipo. Se você disser a si mesmo repetidamente todas as razões para fazê-lo (mesmo que não acredite muito nelas), acabará descobrindo que de fato não gosta do hábito e sinceramente deseja abandoná-lo. O mesmo fenômeno pode ser aplicado a qualquer objetivo. É uma espécie de auto-hipnose ou lavagem cerebral autoinduzida (mas que lava a parte suja).

Eu acredito que o fato de cada indivíduo ser único e ter uma capacidade única de autoexpressão seja uma lei da natureza. Assim, todos nós temos a capacidade de nos expressarmos musicalmente de forma única. Muitas pessoas não acreditam nisso e acabam copiando outros e soando como alguém. Eles acabam frustrados consigo mesmo porque sentem que não podem “relaxar” com a concorrência. Mas como você pode competir contra a individualidade? O único com quem você está competindo é você mesmo. Quando conseguir se identificar com sua individualidade, aceitá-la e respeitá-la, a paz de espírito surgirá. A primeira falsidade a derrubar é o medo ou a crença de que você não é único.

Assim, a primeira lição deste mês (além de memorizar toda a teoria e os assuntos descritos anteriormente) é perceber que você é totalmente único e individualizado, e que isso se tornará mais aparente a cada dia. Você tem que acreditar nisso. Mentalize isso todos os dias e isso se tornará parte do seu pensamento. Você será o que você pensa que é. “Eu sou aquilo.”

Porém, lembre-se que é importante manter seu ego sob controle. É fácil deixar-se levar por si mesmo, e isso é certeza de uma grave ferida à alma. Se você é único, então todo mundo também é. Você deve apreciar e respeitar a singularidade dos outros. Pense nisso todos os dias, mesmo sem ler ou estudar uma palavra ou nota musical, e você sentirá o seu “músculo da individualidade” ficando mais forte.

Mesmo que o “sermão” deste mês não seja sobre o ato físico de tocar guitarra, acredito que este seja o conselho mais valioso que eu posso dar a qualquer um.


[1] O sistema acorde-escala (chord scale) é um método para se obter uma lista de escalas possíveis a partir de uma lista de acordes possíveis. O sistema, que exemplifica a diferença entre o tratamento das dissonâncias no jazz e na música erudita, foi publicado pela primeira vez no livro Lydian Chromatic Concept of Tonal Organization, de George Russell (1959), e é hoje o método mais utilizado para se ensinar jazz nas universidades do hemisfério norte.

[2] É possível que, aqui, Vai esteja fazendo referência ao livro I Am That (1973), uma compilação de palestras sobre a filosofia Shiva Advaita (não dualismo) realizadas por Sri Nisargadatta Maharaj (1897-1981), um guru espiritual hindu que viveu no Mumbai; ou, ainda, a ideias acerca desse tema.

Samurai Guitar

Tradução: Tales Bernardi

Revisão e notas: Augusto Roza

Link para o original: http://www.vai.com/part-one/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s